Pesquisa

Café Memória com dois novos espaços em Lisboa

Alzheimer Portugal
Projeto chega a Marvila e ao Campo Pequeno
Autor Tatiana Nunes 
Data 20-09-2017 
A Associação Alzheimer Portugal  e a Sonae Sierra assinam dia 21 de setembro, às 15h30, um protocolo com o Município de Lisboa e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, no Salão Nobre da Câmara Municipal, para a criação de dois novos Cafés Memória na cidade, situados no Campo Pequeno e em Marvila.

No Campo Pequeno, as sessões irão funcionar na Biblioteca Palácio Galveias, no segundo sábado de cada mês, das 10h00 às 12h00. Em Marvila, as sessões decorrerão na Biblioteca Municipal, no quarto sábado de cada mês, das 10h00 às 12h00. A entrada é livre e sem necessidade de inscrição prévia.

A expansão territorial do projeto na cidade de Lisboa insere-se na estratégia de crescimento da iniciativa, numa lógica de proximidade, com o objetivo de levar esta resposta social a um número cada vez maior de pessoas com problemas de memória ou demência, seus familiares e cuidadores. Com este acordo, o projeto criado em 2013 passa agora a contar com cinco Cafés Memória em zonas distintas da cidade: Colombo, Chiado, Castilho, Campo Pequeno e Marvila.

A propósito da abertura de mais dois Cafés Memória em Lisboa, Elsa Monteiro, Diretora de Sustentabilidade e Comunicação Corporativa da Sonae Sierra, refere que “é para nós motivo de grande satisfação o estabelecimento de uma nova parceria com vista ao crescimento deste projeto, agora com cinco espaços em Lisboa e que advêm da necessidade crescente que temos verificado para reforçar este tipo de resposta na capital do país. O Café Memória tem-se revelado importante para as comunidades onde está presente, pelo que esperamos poder continuar a levá-lo a mais regiões do país”.

José Carreira, Presidente da Associação Alzheimer Portugal, destaca: “A abertura de dois Cafés Memória significa que a nossa comunidade passará a dispor de mais meios para o imperativo combate ao estigma e ao isolamento social. Subimos mais dois degraus no percurso que queremos trilhar na construção de uma Comunidade Amiga das Pessoas com Demência. Uma excelente forma de apoiarmos quem mais precisa e, simultaneamente, assinalarmos o Mês Mundial da Doença de Alzheimer”.

João Afonso, Vereador com o pelouro dos Direitos Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, considera: “No âmbito do Plano de Ação dos Direitos Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, foi apresentada uma Estratégia de Cidade para as Pessoas Idosas. “Cuidar não tem idade” é o lema da intervenção junto desta faixa, que representa cerca de um quarto da população, algo como 132 mil pessoas. Esta estratégia começou por identificar as áreas onde surgem mais queixas: questões de mobilidade e saúde, especificamente a visão e a memória. Nada mais natural, portanto, que acolher em espaços municipais o Café Memória, que se enquadra, aliás, nos programas que desenvolvemos para apoiar os cuidadores informais, entre outros relacionados com casos de solidão ou dependência”. E acrescenta: “Já em 2018, queremos alargar o serviço de teleassistência municipal para um número que pode chegar às 20.000 pessoas. A construção de 14 centros de saúde, já anunciada com a ARS, vai também ao encontro das necessidades dos mais idosos. Mas há outros pontos no que toca à melhoria das redes de equipamentos, bem como de prestação de cuidados básicos. Neste campo, pretende-se aumentar o número de vagas em estruturas residenciais, com pelo menos 2.500 camas. Não estamos sozinhos neste esforço fundamental. Juntam-se à CML nesta estratégia a Santa Casa da Misericórdia, o Instituto de Segurança Social, a Administração Regional de Saúde e a Polícia de Segurança Pública, para além das muitas entidades que fazem parte da Rede Social de Lisboa”.

Rita Paiva Chaves, Diretora do Departamento de Qualidade e Inovação da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, refere: “A Santa Casa acreditou neste projeto mesmo antes de este ter completado um ano de implementação. Conhecendo os desafios inerentes às respostas sociais de que somos responsáveis, na área do envelhecimento, reconhecemos que são as demências e os problemas de memória associados aos vários tipos de mecanisnos neurodegenerativos, os desafios sociais e de saúde de carecem, cada vez mais, de respostas proativas.
Posso hoje afirmar, com toda a segurança, que os mais de três anos de atividade neste projeto demonstraram resultados muito acima dos esperados. Esta parceria, que resultou de um desafio da SCML, teve um acolhimento imediato e muito positivo por todas as partes envolvidas. Ampliará, sem dúvida, o impacto saudável e profícuo que o Café Memória tem levado às comunidades locais, hoje em dia, por todo o país”.

Até à data, já foram realizadas 397 sessões de Café Memória, com perto de 7.000 participações, maioritariamente de cuidadores e familiares de pessoas com demência, tendo sido formados cerca de 400 voluntários que já dedicaram mais de 10.000 horas ao projeto.

Com a celebração desta parceria, esta rede de apoio passa a contar com 16 Cafés Memória, situados em diferentes regiões do país: Cascais, Porto, Viana do Castelo, Oeiras, Viseu, Braga, Guimarães, Madeira, Barcelos, Almada, Leiria e cinco espaços na cidade de Lisboa.

Sobre o CAFÉ MEMÓRIA:

O lançamento do ”Café Memória” em Portugal é uma iniciativa da Sonae Sierra e da Associação Alzheimer Portugal e conta desde o seu lançamento com o apoio de diversos parceiros institucionais: Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação Montepio e Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa. Conta ainda com o apoio da Fundação PT e da Llorente & Cuenca e, a nível local, de uma rede alargada de promotores, como a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, as Câmaras Municipais de Viana do Castelo, Oeiras, Viseu, Braga, Barcelos Leiria e Lisboa, a Cooperativa HOPE! Respostas Sociais, a associação APOIO, o Rotary Club de Algés, a Escola Superior de Educação de Viseu, as Obras Sociais de Viseu, o Lar de Santa Estefânia, a Casa de Saúde S. João de Deus de Barcelos e a Santa Casa da Misericórdia de Almada e de apoios, tais como, a Portugália Restaurantes, Delta Cafés, Sumol+Compal, Celeiro, CPP e de outros importantes parceiros locais que ajudam a concretizar o projeto.

A criação do CAFÉ MEMÓRIA insere-se num projeto mais vasto, o CUIDAR MELHOR (http://www.cuidarmelhor.org), que visa incluir e promover os direitos das pessoas com demência e apoiar e valorizar quem lhes presta cuidados, lançado igualmente pela Associação Alzheimer Portugal e pelos referidos parceiros institucionais.

Para além destes, o CUIDAR MELHOR conta ainda com o apoio da Sonae Sierra, da Companhia de Seguros Lusitania e dos Municípios aderentes Cascais, Oeiras e Sintra, onde funcionam os Gabinetes de Apoio abertos à comunidade.


Mais informação sobre o projeto em www.cafememoria.pt e www.facebook.com/cafememoriapt.