Pesquisa

Comemoração do Dia Mundial de Saúde Mental

Sociedade
No passado dia 10 de Outubro de 2017, comemorou-se o Dia Mundial de Saúde Mental, evento promovido pela Direção Geral de Saúde.
Autor Tatiana Nunes 
Data 20-10-2017 
No passado dia 10 de Outubro de 2017, comemorou-se o Dia Mundial de  Saúde Mental, evento promovido pela Direção Geral de Saúde. 

Durante esta efeméride, o diretor do Programa Nacional de Saúde Mental,  Dr. Álvaro de Carvalho, ao fazer uma exposição sucinta sobre o Relatório realizado recentemente sobre este Programa, salientou o seguinte:
- é preciso monitorizar os registos rigorosos dos perfis e comportamentos dos doentes com perturbações mentais, que consultam os Centros de Saúde espalhados por todo o país;
- as pessoas estão a viver mais anos, mas com incapacidades visíveis e crescentes na área da saúde mental, o que implica uma sobrecarga multidimensional para a sociedade;
- é fundamental mais rigor, precisão  e qualidade na prescrição medicamentosa na área da saúde mental;
- é necessário aumentar os serviços prestados na área da saúde mental para as crianças/adolescentes  e adultos, como forma preventiva;
- é  no Alentejo e no Algarve onde acontece o maior número de suicídios, na maioria homens;
- Portugal está a desenvolver progressivamente estratégias corretas no horizonte do que deve ser feito até 2020, mas mesmo assim são necessárias mudanças ainda muito profundas.

De seguida, o Presidente do Conselho Nacional de Saúde Mental, Dr. António Leuschner comentou os resultados daquele Relatório e sublinhou que é necessário criar uma equipa de coordenação da Saúde Mental, mas também salientou que já se fez muito com tão pouco, apesar do muito que é necessário fazer num futuro próximo, nomeadamente com a alocação de mais recursos humanos. É necessário, por exemplo, que se faça a promoção da Saúde Mental junto dos empresários, como seja, acrescentar uma visão mais holística desta problemática. Estas questões foram posteriormente debatidas numa mesa-redonda pelos restantes participantes, com particular enfoque para:
- reforço do papel dos cuidados de saúde primários, através dos médicos de família;
- criação de equipas multidisciplinares;
- prioridade à criação de serviços de proximidade e seu reforço progressivo;
- prioridade à criação de consultas deslocalizadas, com intervenções ao domicílio;
- reinvestimento na prevenção ao nível da adolescência.

A fim de favorecer as medidas acima mencionadas, foram assinados vários protocolos: com a Ordem dos Psicólogos, Câmara Municipal de Cascais, Faculdade de Medicina de Lisboa e ainda com a Unidade de Saúde Local do Baixo Alentejo.

O evento foi encerrado pelo Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, que reforçou a importância a conferir a  toda esta problemática.