Pesquisa

Bill Gates revela que o pai sofre de doença de Alzheimer

Notícias - Online
O Bilionário e Co- Fundador da Microsoft, de 62 anos, descreveu como o diagnóstico do seu pai, de 92 anos, o inspirou a financiar uma pesquisa para uma cura para a doença neurodegenerativa.
Autor Tatiana Nunes 
Data 06-02-2018 
Em novembro, Bill Gates investiu $100 milhões de dólares da sua fortuna de $94 biliões para pesquisas inovadoras e não convencionais com a esperança de que novos medicamentos sejam desenvolvidos nos próximos 10 a 15 anos. Agora revelou que o pai, que teve uma mão em grandes negócios, incluindo a compra da Starbucks pela Howard Schultz, foi sua motivação para fazê-lo.

Esta manhã, Gates disse que está otimista de que, com os recursos certos, uma cura e medicamentos preventivos serão descobertos para combater a doença de que 5,5 milhões de americanos sofrem.

Numa entrevista a Mary Shriver, da NBC, cujo pai morreu da doença, Gates disse: "Eu tenho um pai profundamente afetado por essa doença. Somente ao resolver problemas como este, podemos tomar esses custos médicos e a tragédia humana e realmente conseguir aqueles sob controle ".

Gates acrescentou que o diagnóstico do pai o levou a preocupar-se com seu próprio cérebro e como este poderá ficar "intacto o maior tempo possível".

Da sua doação de $100 milhões, $50 milhões irão para a Dementia Discovery Fund, uma organização que reúne a indústria e o governo para financiar pesquisas inovadoras sobre demência.

Os restantes $50 milhões serão destinados a um registro nacional de pacientes para acelerar o recrutamento para ensaios clínicos e para um banco de dados de pesquisa internacional, que ajudará os cientistas a compartilhar dados e a colaborar uns com os outros.

Ambas as doações são investimentos pessoais, separados da Fundação Filantrópica Bill e Melinda Gates da Gates.

"Mais e mais pessoas estão a ser diagnosticadas com a doença de Alzheimer, e é trágico", disse ele.

Em 2017, os americanos gastaram $259 bilhões para cuidar das pessoas com a doença de Alzheimer e outras demências.

A demência, da qual a doença de Alzheimer é a forma mais comum, afeta cerca de 50 milhões de pessoas em todo o mundo e espera-se que afete mais de 131 milhões até 2050, de acordo com a Alzheimer's Disease International.

Apesar de décadas de pesquisa científica, não há tratamento que possa retardar a progressão da doença. Os medicamentos atuais não podem fazer mais do que aliviar alguns dos sintomas.

O filantropo, cujo foco habitual é sobre doenças infeciosas em países mais pobres, evitou divulgar o diagnóstico do pai quando anunciou sua doação em novembro.

"Eu sei o quanto é horrível assistir à luta das pessoas que amam, pois a doença rouba-lhes a capacidade mental... Parece que a pessoa que conhecia está a morrer gradualmente", disse num post do blog quando falou sobre os investimentos em demência.
E acrescentou: "Alguns dos homens da minha família sofreram com a doença de Alzheimer, mas eu não diria que esse é o único motivo [para esse investimento]".

Através da conversa com especialistas no campo, no ano passado, Gates disse que identificou cinco áreas de necessidade: entender melhor como a doença de Alzheimer se desenrola, detetando e diagnosticando-a mais cedo, procurando abordagens múltiplas para tentar parar a doença, tornando mais fácil para as pessoas a participação nos ensaios clínicos de potenciais novos medicamentos e usar melhor os dados.

"Os meus antecedentes na Microsoft dizem-me que uma contribuição direcionada por dados pode ser uma área, na qual eu posso ajudar a agregar algum valor. Isso tornaria mais fácil para os investigadores a procura de padrões e a identificação de novas vias de tratamento, acrescentou Gates.

Gates afirma que: “Realmente acredito que, se orquestramos os recursos certos, é resolutivo".