Pesquisa

Número de idosos com quatro ou mais doenças vai duplicar nos próximos anos

Notícias - Imprensa
Um estudo publicado na revista "Age and Ageing" indica que o número de pessoas idosas com multimorbidade, ou seja, várias doenças, vai aumentar de forma substancial ao longo dos próximos 20 anos.
Autor Tatiana Nunes 
Data 06-02-2018 
A investigação conduzida pelo Instituto do Envelhecimento da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, estima que o número de idosos com quatro ou mais doenças duplique até 2035.

O estudo refere que um terço será diagnosticado com demência, depressão ou incapacidade cognitiva. "É o resultado do crescimento da população com 85 anos de idade e mais", justifica Carol Jagger, principal autora do estudo.

"Mais preocupante é o facto de o nosso modelo demonstrar que os futuros idosos-jovens, com 65 a 74 anos de idade, serão mais propensos a terem duas ou três mais doenças do que no passado. Isto deve-se à maior prevalência de obesidade e de inatividade física que constituem fatores de risco para múltiplas doenças", acrescenta a investigadora.

Segundo os investigadores, dois terços do aumento da esperança de vida, que se prevê ser de 3,6 anos para os homens e 2,9 anos para as mulheres, serão vividos com quatro ou mais doenças.

Por outro lado, nos próximos 20 anos, os diagnósticos de cancro aumentarão em 179,4% e de diabetes em 118,1%.