Pesquisa

Intervalo na prestação de cuidados

Aqui são abordadas algumas formas de as famílias e cuidadores tornarem os intervalos na prestação de cuidados numa experiência positiva para si próprios e para a pessoa com Demência. São feitas sugestões práticas para o planeamento e utilização dos intervalos.

Os intervalos na prestação de cuidados proporcionam uma pausa necessária das responsabilidades e exigências de cuidar de alguém com Demência. Isto permite às famílias e cuidadores descansar, sair, trabalhar ou ir de férias. Para muitas pessoas, fazer um intervalo regular na prestação de cuidados permite ?recarregar baterias? e evitar o desgaste. Do mesmo modo, permite à pessoa com demência uma oportunidade de socializar e conhecer outras pessoas.

Lidar com eventuais dificuldades

Ocasionalmente podem surgir dificuldades, especialmente quando se realiza pela primeira vez uma pausa nos cuidados. Alguns familiares e cuidadores confrontam-se com situações tais como a pessoa não querer separar-se deles ou da sua casa ou, ainda, de querer voltar para casa durante o período de pausa. Outros familiares e cuidadores preocupam-se com a ocorrência de comportamentos atípicos durante a pausa ou com os efeitos desta na pessoa com demência.

Estes problemas são frequentes e não devem impedi-lo de fazer uma pausa. Existem muitas maneiras de contornar estas dificuldades de forma a ser possível para si e para a pessoa com Demência aproveitar ao máximo o intervalo na prestação de cuidados.

Planear o futuro

Os novos ambientes e novas pessoas podem inquietar a pessoa com Demência. Por isso, é importante planear o intervalo, de modo a obter-se uma experiência positiva.

Para muitas pessoas é útil realizar intervalos regulares, desde o início da prestação de cuidados, uma vez que isto permite habituarem-se a partilhar os cuidados da pessoa com Demência.

Decida qual será a melhor altura de dar conhecimento à pessoa da sua pausa na prestação dos cuidados. Tranquilize a pessoa, caso esteja ansiosa, e certifique-se que ela percebe que para si o intervalo é uma situação positiva, mesmo que, no fundo, também se sinta um pouco ansioso.


Comece por intervalos pequenos

Para muitas famílias e cuidadores é melhor começar com pequenas pausas e, progressivamente, chegar às mais longas. Isso permite-lhe a si e à pessoa com Demência, ganhar alguma confiança sobre a experiência. Poderá ser útil proporcionar um encontro prévio entre o prestador de cuidados temporários e a pessoa com Demência.

Comunicação com os prestadores de cuidados temporários

Pode ser útil pensar na pausa da prestação de cuidados como uma parceria entre si e o prestador de cuidados temporários, cuja finalidade é a de trabalharem em conjunto para tirar o máximo partido do intervalo.

Quando planear um intervalo da prestação de cuidados, avalie com os profissionais que tipos de cuidados temporários estão disponíveis e quais serão os melhores para si e para a pessoa com demência.

Para todos tirarem o máximo de partido do intervalo:

  • Comunique clara e abertamente as suas necessidades e as da pessoa com demência;
  • Dê informações importantes ao profissional ou à instituição prestadora de cuidados temporários. Conhecer aquilo que a pessoa gosta e não gosta vai ajudar os profissionais a cuidarem com mais facilidade e permite minimizar quaisquer alterações. Compartilhe informações sobre a história de vida da pessoa com Demência. Entregar um álbum de fotografias da vida da pessoa pode facilitar a conversa com o prestador de cuidados temporários;
  • Explique o que é importante para si e para a pessoa com demência em relação à prestação de cuidados


Conversar com outras pessoas

Conversar com outras pessoas em situações similares à sua, sobre formas que elas arranjaram para tornar a pausa numa experiência positiva, pode ser uma maneira de obter algumas ideias práticas

Continue a tentar

O intervalo na prestação de cuidados implica uma adaptação para as famílias, cuidadores e para a pessoa com Demência, podendo levar algum tempo a construir um sentimento de confiança. Se não ficar satisfeito com uma experiência, tente novamente. A pessoa de quem cuida pode habituar-se a situações diferentes ao longo do tempo.

Planear fazer algo diferente numa próxima vez, pode permitir melhorar a experiência. Lembre-se que os intervalos regulares são importantes para todos os familiares, cuidadores e pessoas com Demência. Estes irão certamente melhorar a sua capacidade de levar a cabo o exigente papel de cuidar de alguém com Demência e, por isso, deve continuar a tentar.

Adaptado de Alzheimer Australia