Pesquisa

Internamento no Hospital

O internamento num hospital pode ser uma experiência assustadora para qualquer pessoa, mas especialmente para uma pessoa com Demência. Se cuida de alguém com Demência que necessita de ir para o hospital, aqui pode encontrar informação para tornar a experiencia hospitalar mais fácil para si e para a pessoa com Demência.

Informar a pessoa com Demência sobre a ida para o hospital

Esta informação vai depender de vários fatores, tais como a extensão da perda de memória e a ansiedade antecipatória sobre a ida para o hospital. Informar a pessoa e envolvê-la no planeamento é a melhor opção para muitas pessoas.

Para aquelas pessoas com demência que ao saberem que têm um compromisso, querem sair de casa imediatamente e repetidamente perguntam: "Quando é que vamos??, pode ser melhor não contar até ao último minuto. Isto significa que terá que fazer as malas, sem incluir a pessoa na preparação. Quando a informar, esteja preparado para sair dentro das próximas horas.

A sugestão de que é necessário ir para o hospital deve ser feita de uma maneira calma e gentil, para promover uma reação tranquila por parte da pessoa.

Preparar o internamento hospitalar

Evite comprar roupas novas para o internamento hospitalar. A pessoa já tem muitas coisas novas para lidar, pelo que esta poderá ser demasiado para ela.

Se não puder evitar comprar coisas novas, permita que a pessoa com demência se familiarize com elas antes da data de admissão no hospital. Se for necessário comprar mais do que um item de cada artigo, compre-os todos iguais. Identifique todos os pertences da pessoa e deixe os objetos de valor em casa.

Para algumas pessoas com demência, será melhor participar ativamente no processo de fazer as malas. Para outras, poderá ser melhor dar-lhes sugestões sobre o que levar e deixar que confirmem as escolhas. Em alguns casos, pode ser melhor evitar qualquer menção de preparação para um internamento hospitalar.

Por certo, saberá qual a será melhor abordagem a adotar. Não suponha que uma pessoa com demência entende tudo simplesmente porque participou no processo de fazer as malas.

A chegada ao hospital

Tente combinar a admissão durante um momento de maior tranquilidade no hospital. Fazer um planeamento prévio da viagem, incluindo por exemplo o sítio onde estacionar e fazer a admissão, permitirá que se concentre nas necessidades da pessoa com Demência, em vez de estar preocupado em descobrir para que sítio se deve dirigir. Se for possível, leve outra pessoa consigo para o ajudar.

Dê conhecimento prévio, se possível, aos funcionários do hospital de que o seu parente ou amigo tem Demência. Isto irá ajudá-los a providenciarem os cuidados apropriados.

Informe os funcionários do nome pelo qual a pessoa prefere ser tratada, bem como das rotinas habituais e aquilo de que a pessoa gosta e não gosta. Dê conhecimento das coisas que podem causar agitação e de estratégias que podem ser utilizadas no controlo desta.

Aconselhe os procedimentos a adotar em relação à higiene, idas à casa de banho e para manter a pessoa tranquila durante a noite. Escrever esta informação poderá ser útil para o hospital, uma vez que pode ser colocada no processo da pessoa, para que todos os funcionários possam lê-la.

Leve consigo todas as medicações, incluindo os medicamentos alternativos. Escreva os nomes de todos os medicamentos e as respetivas dosagens, de modo a que esta informação seja colocada no processo da pessoa. Informe os funcionários sobre as formas preferidas da pessoa para tomar os medicamentos.

Existe um benefício considerável em levar vários objetos pessoais, tais como fotografias da família, almofada ou chinelos. Colocar perto da cama um calendário ou uma frase que explique onde a pessoa se encontra, pode ajudar a diminuir a confusão.

Internamentos não planeados

Manter uma lista atualizada das medicações e respetivas dosagens, pode ser uma boa opção, mesmo que o internamento não esteja planeado. Em caso de uma emergência médica pode ser útil ter esta informação à mão. É útil manter uma mala preparada com roupas que a pessoa conheça, informação geral e números de emergência. Não se esqueça de verificar regularmente se esta informação está atualizada.

Apresentar a pessoa na enfermaria

Tente acompanhar a pessoa com demência à enfermaria onde vai ficar. Apresente a enfermeira como uma pessoa de confiança, com quem a pessoa com Demência pode falar ou pedir ajuda, sejam quais forem as suas necessidades.

Deixar a pessoa no hospital

Quando quiser sair do hospital dê conhecimento à equipa de enfermagem, de modo a que eles tomem conta da pessoa, o que reduz o risco do paciente com demência ser deixado sem apoio.
A maioria das famílias e cuidadores já teve a experiência de deixar a pessoa de quem cuidam nalgum sítio durante um dia, com parentes ou amigos e, por isso, sabem o que funciona melhor para a pessoa com demência, quando for hora de saírem do hospital.

Arranjar uma desculpa para deixar temporariamente de estar ao pé da pessoa poderá diminuir o stress, em algumas pessoas com Demência. Pode ser útil, por exemplo, prometer que vai buscar um objeto específico ou uma surpresa para ela. Afirmar que tem que sair por motivos do seu interesse, poderá não ser tão facilmente aceite pela pessoa. Os horários das refeições podem ser um bom momento para sair, uma vez que a comida pode oferecer uma distração para a sua partida.

Em certas circunstâncias, alguns hospitais permitem que os familiares fiquem junto da pessoa durante a noite.

Visitar a pessoa com Demência

Quando voltar para a visita, pode ser recebido pela pessoa com indignação ou zanga. Se isso acontecer, seja empático com a reação da pessoa e de seguida tente concentrá-la em algo mais agradável e do seu interesse, por exemplo, num objeto de que a pessoa goste. Utilize uma linguagem suave, tranquila e uma conversa positiva.

Algumas visitas podem mostrar insegurança em tocar na pessoa, por medo de magoá-la ou de deslocar os equipamentos médicos. É importante que a pessoa com demência se sinta próxima das pessoas que a visitam. Se estas visitas habitualmente dão as mãos ou beijam a pessoa, deverão continuar a fazê-lo no hospital. O toque é importante, especialmente se a pessoa com demência estiver a sentir-se insegura ou com medo, sendo esta uma boa altura para massajar a sua mão. Os funcionários do hospital podem aconselhar como manter o contacto físico, caso o equipamento médico esteja a dificultá-lo.

Para que a pessoa com demência tenha conhecimento das pessoas que a visitaram, coloque uma folha de papel para as visitas escreverem o seu nome.

Quando a pessoa deseja ir para casa prematuramente

Se uma pessoa com demência pedir para voltar para casa, não responsabilize os médicos e enfermeiros pela permanência da pessoa no hospital. Os profissionais do hospital são as pessoas em que a pessoa com Demência precisa de ter confiança, especialmente para qualquer tratamento futuro.

Nesta situação, uma ajuda poderá ser fingir-se aborrecido pela estadia da pessoa ser tão longa, mas ao mesmo tempo salientar que é uma oportunidade de ser muito bem tratada. Não se esqueça de enfatizar que o hospital está cuidar extremamente bem dela.

A Alta Clínica

Por vezes será melhor evitar dizer à pessoa com demência que está na iminência de ter alta, uma vez que ela poderá desejar sair do hospital imediatamente. Em vez disso, diga-lhe apenas no momento da alta, de modo a que a pessoa possa sair logo de seguida.

Solicite à equipa que escreva tudo aquilo que precisa de saber. É boa ideia manter o contacto com o médico de família, de modo a que a pessoa possa voltar às consultas com alguém familiar e ser tranquilizada sobre qualquer parte do seu tratamento.

Após a Alta Clínica

Evite parar no caminho para casa. O internamento no hospital foi uma experiência forte e estimulante e a pessoa com Demência necessitará de restabelecer-se no ambiente da sua casa. A pessoa pode estar cansada como resultado de ter estado doente.

Quando estiver em casa, proporcione à pessoa um momento de tranquilidade com o seu passatempo favorito.

Nota
Algumas destas estratégias podem parecer excessivas ou demasiado protetoras e poderá sentir-se desconfortável em realizá-las. Pode desejar explicar à pessoa com Demência todos os passos do processo de internamento no hospital, como fazia antigamente quando a memória da pessoa estava intacta. No entanto, na atualidade isto pode não ser eficaz e causar stress à pessoa, uma vez que ela não consegue compreender totalmente os factos.

O conforto e a paz de espírito são essenciais para o bem-estar físico e mental da pessoa com Demência. O objetivo de toda esta informação é tornar o internamento no hospital numa situação mais confortável para a pessoa com demência, sua família e cuidadores.

Baseado em ?When someone in your care has memory loss and needs to go to hospital?, de Beryl Mason, Jenny Hales e da associação de enfermagem de Central Coast Health, NSW.

Adaptado de Alzheimer Australia