Pesquisa

Nutrição

O tipo de alimentação que fazemos afeta a nossa saúde e qualidade de vida. Pessoas mal nutridas adoecem mais facilmente e recuperam de doenças ou lesões mais lentamente. A desnutrição é um dos graves problemas que afeta muitos idosos.

Manter uma boa nutrição nas pessoas com Demência, apresenta ainda mais desafios, pois as pessoas podem:
  • Ter falta de apetite;
  • Ter excesso de apetite ou uma enorme vontade de comer doces;
  • Esquecer-se de comer ou beber;
  • Esquecer-se de como mastigar ou engolir;
  • Ter a boca seca ou outro desconforto na boca;
  • Não conseguir reconhecer um alimento ou bebida que lhes estejam a apresentar

 

Equilíbrio Nutricional Diário

As necessidades nutricionais de uma pessoa com Demência são semelhantes às de outras pessoas da sua idade. No entanto, algumas pessoas com Demência aumentam o seu nível de atividade física, o que significa que precisam de maiores quantidades de alimentos para os impedir de perder peso.

Algumas orientações alimentares para idosos:
  • Ingerir uma grande variedade de alimentos nutritivos;
  • Comer, pelo menos, três refeições por dia;
  • Beber bastante água;
  • Comer bastantes legumes e frutas;
  • Comer cereais, pão e massas;
  • Comer uma dieta baixa em gorduras saturadas;
  • Escolher alimentos pobres em sal e consumir sal com moderação;
  • Incluir na alimentação alimentos ricos em cálcio;
  • Ingerir açúcares com moderação

 

Esquecimento

Algumas pessoas com Demência podem esquecer-se de comer.

O que tentar?
  • Um relógio de alarme ou um telefonema podem ser um lembrete útil na hora das refeições;
  • Snacks que são fáceis de comer e não precisam de ser refrigerados podem ser deixados fora do frigorífico, onde possam ser facilmente vistos;

 

Viver sozinho

Algumas pessoas com Demência podem não conseguir ou não querer preparar refeições para si. Isto pode ser particularmente difícil se eles estão a viver sozinhos.

O que tentar?
  • Sempre que possível, coma ao mesmo tempo que a pessoa com Demência, para que as refeições sejam um momento de convívio;
  • Refeições entregues em casa. No entanto estas podem não fornecer todas as necessidades nutricionais diárias ou podem não ser aquilo a que a pessoa está habituada a comer;
  • Apoio domiciliário para ajudar a pessoa a preparar as suas refeições ou para lhe servir as refeições;
  • Comprar refeições pré-preparadas no supermercado;
  • Familiares e amigos podem ajudar a preparar as refeições e comerem juntos;
  • Prepare maiores quantidades de comida e congele porções individuais para ir consumindo ao longo do tempo;
  • Comer fora. No entanto, verifique primeiro se a pessoa com Demência se irá sentir confortável com o local e alimentos;
  • Prepare refeições simples que não precisem de ser cozinhadas, como iogurtes, sandes, fruta

 

Álcool

O álcool pode estimular o apetite e aumentar o prazer numa uma refeição. No entanto, o excesso de álcool pode substituir alimentos e as pessoas podem ficar desnutridas.

Se a pessoa com Demência sempre bebeu bastante, pode ser difícil mudar seus hábitos.

O que tentar?
  • Certifique-se de que a pessoa se alimenta bem;
  • Desencoraje a pessoa de beber com o estômago vazio;
  • Ofereça outras bebidas, para além do álcool;
  • Junte um pouco de água às bebidas com álcool, para reduzir a sua percentagem de álcool

 

Comer com as mãos

Se a pessoa com Demência está a ter dificuldade em comer com talheres, escolher alimentos que possam ser comidos ?à mão? é uma boa alternativa. Assim, consegue manter a independência da pessoa, sem a tornar dependente de alguém que lhe dê a comida à boca.

O que tentar?
  • Prepare um prato nutritivo e atraente que possa ser comido com as mãos;
  • Certifique-se que os alimentos estão acessíveis Coloque-os sobre um prato ou travessa plana sem padrão para que o alimento possa ser distinguido claramente. Verifique se a travessa ou prato está a uma distância confortável para a pessoa com Demência;
  • Não utilize utensílios complicados, como muitos talheres diferentes, muita louça, alimentos e bebidas em conjunto;
  • Sirva apenas um prato de cada vez;
  • A Insuficiência de paladar e olfato pode reduzir o apetite. A preparação de alimentos saborosos, de sabor forte e aromático pode ajudar;
  • Dê tempo para a memória para responder e não seja demasiado exigente com a pessoa;
  • Pode ser necessário ajudar a pessoa para que esta consiga levar os alimentos do prato até à boca;
  • Coma ao mesmo tempo que a pessoa com Demência, para que esta o imite nos movimentos e gestos;
  • Ao servir os alimentos, tenha em consideração a cultura e hábitos alimentares do passado da pessoa

 

Alimentação nas fases mais avançadas de demência

É comum as pessoas nas fases mais avançadas de Demência perderem uma quantidade considerável de peso. As pessoas podem esquecer-se de como comer ou beber, ou podem não reconhecer os alimentos que lhes são servidos. Algumas pessoas tornam-se incapazes de mastigar e engolir corretamente.

Por todos estes motivos, muitas vezes é necessário recorrer a suplementos nutricionais aconselhados pelo médico.

Se a pessoa tiver dificuldades de deglutição ou não consumir alimentos ou bebidas ao longo de um período significativo de tempo, a sua saúde poderá ser afetada.

Alguns conselhos:

  • Faça da refeição um momento simples e descontraído, sem tensões. Nem todos os alimentos têm de ser comidos com talheres, se isso está a atrapalhar a pessoa;
  • Tenha em consideração os hábitos passados da pessoa com Demência. É importante saber se ela sempre comeu pouco, ou que tipos de refeição mais gosta;
  • Tenha em atenção a temperatura dos alimentos, pois a pessoa com Demência pode perder a capacidade de perceber se a comida está ainda muito quente para ser comida ou, por outro lado, pode não perceber que a comida ainda não foi aquecida
  • Muitas pessoas com Demência não ingerem a quantidade suficiente de líquidos, pois podem esquecer-se de beber ou mesmo não reconhecer a sensação de sede. Certifique-se de que a pessoa bebe água, sumo ou chá regularmente, por forma a evitar a desidratação
  • Muitos os problemas alimentares são temporários e podem ir mudando à medida que a doença se agrava na pessoa

Adaptado de Alzheimer Australia