Pesquisa

Vestir

Vestir-se pode ser uma tarefa complexa e avassaladora devido ao número de etapas envolvidas. Ajudar uma pessoa com Demência a vestir-se pode exigir bastante tempo e ser emocionalmente esgotante, sobretudo se a pessoa não está a cooperar.

Cada pessoa afectada por Demência reage de maneira diferente, sendo por isso necessária uma abordagem que seja adequada, tanto para si como para o doente.

O que pode tentar:
  • Uma ajuda cuidadosa e rápida ou lembretes podem ajudar a pessoa a vestir-se com independência;
  • Tente dividir a tarefa. Divida o processo em passos mais pequenos e mais simples e tente fazer uma etapa de cada vez. Poderá ter de relembrar a pessoa a cada passo do que deve fazer ou realizar várias das etapas em lugar da pessoa;
  • Confortar a pessoa, fazê-la sentir-se segura e louvores a cada passo bem sucedido tornarão a tarefa mais agradável para ambos;
  • Arrume artigos ou objectos que possam ser fonte de distração, tal como roupas fora de estação;
  • Certifique-se de que a divisão está a uma temperatura agradável para a pessoa com Demência;
  • Forneça iluminação adequada. Certifique-se também de que a quantidade e nível de luz no guarda-roupa é a mesma para que a pessoa não tenha de habituar-se a intensidades de luz diferentes;
  • Feche a porta e as cortinas para criar um sentimento de privacidade;
  • Se a pessoa é capaz de desempenhar a maioria das tarefas, é mais adequado dar-lhe liberdade, intervindo apenas quando necessário;
  • Simplifique o número de escolhas, disponibilizando no máximo duas opções, por exemplo uma t-shirt azul e outra branca;
  • Disponha as peças de roupa em sequência, em cima da cama. As peças devem estar ordenadas de acordo com etapa em que devem ser vestidas;
  • Tente contrastar roupas de cores ligeiramente vivas colocando-as sobre uma colcha escura. Para alguém com problemas de visão, o contraste pode ajudar a ver o relevo das cores vivas a partir do fundo escuro;
  • A capacidade de distinguir as sensações de calor e frio são seriamente afetadas nas pessoas com Demência. Se o excesso de camadas de roupa não causa desconforto à pessoa, procure não interferir. É aconselhável arrumar roupas extra ou desnecessárias em sítios que não estejam acessíveis;
  • Manter a individualidade e o estilo de roupa da pessoa é muito importante. Introduzir roupa que seja muito diferente do estilo habitual pode causar mais problemas do que propriamente resolvê-los;
  • Escolha roupa que seja facilmente lavável e que não precise de ser passada a ferro;
  • Para algumas pessoas, botões, fechos, ganchos e fivelas do cinto podem ser demasiado difíceis de utilizar, pelo que podem ser facilmente substituídas por fechos de velcro;
  • Padrões complexos, confusos ou cores vivas podem causar distração. Escolha roupas com padrões simples e com contrastes acentuados porque são mais fáceis de discernir para muitas pessoas;
  • Coloque sapatos fáceis de ajustar em vez de calçado com muitos atacadores e atilhos. Certifique-se de que as solas são antiderrapantes

 

Alguns Conselhos:

Antigamente, as pessoas não mudavam de roupa tão frequentemente como hoje em dia. É importante não tentar impor a sua opinião acerca da frequência da mudança de roupa diária.

Ser lembrado de que se deve mudar de roupa pode ser uma experiência humilhante e embaraçosa. É importante lembrar-se de que estes sentimentos podem ocorrer.

Todo o tempo gasto na manutenção de independência não é tempo perdido. Ser capaz de se vestir a si próprio ajuda a pessoa a sentir-se mais independente e sedimenta sentimentos de orgulho e autoestima.

Algumas pessoas com Demência têm tendência a despir-se com frequência e sem motivo aparente. Este comportamento pode ser embaraçoso, mas lembre-se que elas já não têm noção daquilo que é apropriado. Tente perceber o motivo desse comportamento (por exemplo: pode estar com calor ou não reconhecer a roupa que está a vestir como sendo sua), por forma a prevenir situações futuras.

Adaptado de Alzheimer Australia