Pesquisa

Perturbações do sono

Aqui abordamos algumas causas das perturbações do sono e fornecer algumas sugestões para as famílias e cuidadores lidarem com este problema difícil e frequente.

As perturbações do sono são comuns nas pessoas com Demência. Algumas pessoas dormem durante o dia e por isso ficam acordadas e inquietas durante a noite. Outras pessoas já não têm capacidade para distinguir o dia da noite. Outras, ainda, já não são tão ativas como eram, pelo que agora necessitam de dormir menos.

Causas das perturbações do sono

É importante tentar identificar o que pode estar a causar a perturbação ? será o ambiente, a demência ou os medicamentos utilizados? O esclarecimento da causa vai ajudar a decidir que tipo de estratégias podem ser utilizadas para ultrapassar o problema.

Para algumas famílias e cuidadores, o registo num diário facilita a observação do padrão de comportamento que pode estar a desenvolver-se, permitindo que a causa do problema seja identificada mais facilmente.

Causas médicas ou fisiológicas
  • Os danos cerebrais provocados pela demência afetaram o "relógio biológico" do cérebro, que orienta os nossos padrões de sono;
  • Doenças tais como angina, insuficiência cardíaca, diabetes ou úlceras;
  • Dor causada por doenças como a artrite;
  • Infeção do trato urinário, que provoca uma necessidade frequente de urinar;
  • Síndrome das "pernas inquietas" ou cãibras nas pernas, que podem indicar um problema metabólico;
  • Depressão, que faz com que a pessoa desperte de madrugada e seja incapaz de voltar a dormir;
  • Efeitos secundários de medicamentos (ex. diuréticos);
  • Apneia do sono e ressonar;
  • Necessidade de menos horas de sono, à medida que se envelhece

O que tentar
  • Avalie com o médico a possibilidade de parar ou alterar a medicação diurética, se sentir que esta está a contribuir para o problema;
  • Providencie um check-up médico para identificar e tratar os sintomas físicos;
  • Caso o médico concorde, trate a dor com um analgésico na altura de dormir;
  • Avalie com o médico se os sedativos podem estar a contribuir para o problema;
  • Pergunte ao médico se será necessário fazer um despiste de depressão;
  • Pergunte ao médico a possibilidade de existência de efeitos secundários da medicação;
  • Em algumas situações, pode ser necessário avaliar com o médico a adequação de utilizar medicação tranquilizante ou para dormir. Esta pode ser útil a curto prazo para estabelecer um melhor ciclo do sono, mas os dois tipos de medicação podem ter efeitos negativos, tal como o aumento da confusão

 

Causas relacionadas com o ambiente
  • O quarto pode estar muito quente ou muito frio;
  • Uma iluminação fraca pode causar desorientação à pessoa com Demência;
  • A pessoa não conseguir encontrar a casa de banho;
  • As alterações no ambiente, tais como mudar-se para uma casa nova ou ser internado no hospital, podem causar desorientação e confusão à pessoa

O que tentar
  • Mantenha o ambiente o mais estável possível;
  • Verifique se a pessoa, ao acordar, está muito quente ou muito fria. A Demência pode afetar o ?termóstato interior? da pessoa;
  • As sombras, encandeamento ou uma fraca iluminação, podem contribuir para a agitação e alucinações, por isso providencie uma iluminação adequada;
  • Olhar para o espelho do quarto e não se reconhecer a si própria ou as outras pessoas pode causar confusão à pessoa com Demência. Tirar o espelho pode ser uma boa opção;
  • As luzes de presença podem ajudar a reduzir a confusão durante a noite e podem ajudar a pessoa a encontrar o caminho para a casa de banho;
  • Se a pessoa tem dificuldade em encontrar a casa de banho, pode colocar uma cadeira com bacio incorporado junto à cama;
  • Certifique-se que a cama e o quarto são confortáveis. Os objetos familiares podem ajudar a pessoa a orientar-se;
  • À noite, evite ter à vista roupa de vestir durante o dia, uma vez que a pessoa pode entender isto como um sinal de que se deve levantar;
  • Certifique-se de que a pessoa está a fazer exercício suficiente. Tente que a pessoa faça uma ou duas caminhadas por dia

 

Outras causas

  • Ir para a cama muito cedo;
  • Dormir demasiado durante o dia;
  • O cansaço excessivo pode causar tensão e incapacidade para adormecer;
  • Fazer pouco exercício, pelo que a pessoa não se sente cansada;
  • Demasiada cafeína ou álcool;
  • Estar com fome;
  • Agitação após uma situação adversa;
  • Sonhos perturbadores

 

O que fazer

Comida e bebida
  • Reduza a ingestão de cafeína (café, cola, chá e chocolate) durante o dia e elimine-os totalmente a partir das 17h;
  • Reduza a ingestão de álcool e avalie com o médico a possibilidade de interação entre o álcool e a medicação;
  • Se julgar que a pessoa pode estar com fome durante a noite, tente dar-lhe um pequeno lanche na altura de ir para a cama ou quando acorda pela primeira vez;
  • Beber um chá de ervas ou leite morno pode ajudar

Rotinas diárias
  • Tente não realizar tarefas que possam ser perturbadoras no final da tarde;
  • Se a pessoa recusar ir para a cama, proponha-lhe outras alternativas, como por exemplo dormir no sofá;
  • Se a pessoa deambular durante a noite, permita a situação, mas certifique-se que que a casa é segura;
  • Experimente fazer uma massagem nas costas da pessoa antes de dormir ou nos períodos de vigília (durante a noite);
  • Lembre a pessoa, de forma gentil, que já é noite e é hora de dormir

 

Outras considerações

Os problemas de sono ou a agitação durante a noite são uma fase frequente, que pode passar. Muitas pessoas Demência dormem mais nas fases mais avançadas da doença.

Os problemas do sono são um dos sintomas mais difíceis da Demência. As famílias e os cuidadores devem dormir adequadamente. Tente assegurar períodos regulares de descanso e pausas regulares para si próprio, bem como para a pessoa com demência.

Adaptado de Alzheimer Australia