Pesquisa

Parceria na prestação de cuidados

Aqui encontra informação para os familiares e cuidadores de pessoas com Demência que tenham transitado recentemente para os cuidados residenciais. Enfatiza-se a importância de estabelecer com a equipa da unidade uma parceria na prestação de cuidados.

O seu novo papel

Preparar-se para o período após a pessoa estar instalada na unidade residencial é tão importante como preparar-se para a transição. A altura da separação pode ser emocional, com uma mistura de vários sentimentos. Estes podem incluir sentimentos de alívio, culpa ou tristeza. Certamente as suas atividades diárias vão alterar-se repentinamente.

Muitas pessoas acreditam que os cuidados residenciais a tempo inteiro vão retirá-las do seu papel de cuidador. No entanto, não irá deixar de cuidar, apenas por não realizar as tarefas físicas. Permitir que os outros assumam a responsabilidade pelas tarefas práticas do ato de cuidar não diminui a importância do seu papel como cuidador. De facto, você é o especialista no que concerne a cuidar da pessoa com Demência.

O seu papel junto dos prestadores de cuidados profissionais será informar, aconselhar, recomendar, tomar decisões e encorajar a prestação do melhor cuidado possível ao novo residente. Poderá, também, continuar a contribuir para os cuidados físicos, se assim o desejar.

Não existem regras que determinem o quanto deve estar envolvido. A escolha é sua. Lembre-se que também deve responder às suas necessidades pessoais, bem como sentir-se confortável sobre o seu nível de envolvimento na prestação de cuidados à pessoa com Demência.

Os grupos de apoio podem continuar a ser uma ajuda, mesmo após a transição da pessoa com Demência para os cuidados residenciais. Algumas unidades residenciais também têm grupos para familiares, pois reconhecem as dificuldades experienciadas por muitos parentes após a mudança ter sido realizada.

A Alzheimer Portugal tem grupos que prestam apoio aos cuidadores de pessoas com Demência e fornece aconselhamento e informação. Pode contactar a Alzheimer Portugal para a Sede ou Delegação mais próxima da sua residência.

Como pode continuar a cuidar

O cuidado que a pessoa com Demência recebe será melhor se for entendido como uma parceria entre si e a unidade residencial.
Uma parceria na prestação de cuidados significa que:
  • Os cuidados são individualizados, de forma a irem ao encontro das necessidades do residente, da sua família e amigos;
  • A equipa, os residentes e os familiares e amigos trabalham em conjunto para atender a essas necessidades;
  • Existe uma boa comunicação, bem como uma compreensão da história de vida do residente e do que ele é atualmente
O seu envolvimento deve ser bem recebido e incentivado. Poderá sentir-se completamente exausto nos primeiros dias após a transição e desejar ter algum tempo sem estar no papel de cuidador. No entanto, a unidade deve ter uma porta sempre aberta para si, de modo a que possa envolver-se naquilo que desejar. Isto poderá incluir, por exemplo, partilhar uma refeição em conjunto, ajudar no banho e receber informação regular sobre a unidade.

A unidade residencial deve envolvê-lo na prestação de cuidados de várias formas:
  • Solicitar-lhe informação sobre a origem familiar da pessoa com Demência, profissão anterior, atividades e passatempos, aquilo de que gosta e não gosta, linguagem, religião e cultura;
  • Incentivá-lo a tornar o quarto da pessoa o mais familiar possível. Isto pode envolver a colocação de fotografias da família, objetos decorativos ou figuras religiosas que possam ter um valor sentimental para a pessoa;
  • Trabalhar consigo de forma a desenvolver um plano de prestação de cuidados que estabeleça as necessidades do residente, objetivos, estratégias e ações que assegurem que as necessidades da pessoa são atendidas;
  • Reverem com regularidade e em conjunto o plano de prestação de cuidados;
  • Nomear um parente ou advogado que seja regularmente informado sobre questões relativas aos cuidados;
  • Consultá-lo no que concerne ao controlo da confusão do residente, alterações do humor ou inquietude;
  • Convidá-lo para ajudar nas atividades, incluindo passeios ao exterior ou eventos dentro da unidade residencial;
  • Consultá-lo sobre questões de vida diária, tais como as horas a que o residente gosta de levantar-se e deitar-se, horas do banho, o que vestir, o que comer, quando é que gosta de comer, etc.;
  • Incentivá-lo a ler as anotações diárias do residente;
  • Cumprimentá-lo à chegada ou partida com uma calorosa saudação ou despedida;
  • Convidá-lo a participar nas reuniões de residentes/familiares, nas quais são discutidas as questões do funcionamento diário da unidade e incentivá-lo a manifestar a sua opinião sobre as horas das refeições, menus, atividades, comunicação e acreditação;
Se a unidade não promover ativamente o envolvimento das famílias e amigos, poderá falar com o responsável sobre a forma como deseja estar envolvido e de que maneira a unidade pode ajudá-lo nesta situação.

Como obter a prestação de cuidados que deseja


Comunique as suas necessidades de forma clara. Por exemplo:
  • ?O meu marido não gosta de comer ao meio dia. Precisamos de alterar a hora da refeição para mais tarde.?
  • ?Quero ser informado de quaisquer alterações do comportamento, mesmo que sejam muito pequenas.?

Transmita informação importante à unidade. Por exemplo:
  • ?O meu pai não gosta muito de falar?
  • ?A minha mãe gosta de tomar um duche de manhã bem cedo?

Explique o que é mais importante para si na prestação dos cuidados. Por exemplo:
  • ?A minha mulher sempre se orgulhou da sua aparência e é importante que ela esteja bem arranjada quando as visitas chegarem.?

Adaptado de Alzheimer Australia