Pesquisa

Comportamento Agressivo

As pessoas com Demência podem ter alterações de comportamento, o que pode originar alguns comportamentos agressivos. Aqui iremos abordar as causas dos comportamentos agressivos e sugerir algumas formas para os controlar e evitar.

O que é o comportamento agressivo?

As alterações no comportamento das pessoas com Demência são muito comuns. Por vezes, estas alterações podem levar a comportamentos agressivos, tais como violência verbal, ameaças verbais, partir objetos ou violência física contra outra pessoa.

O que é que causa este comportamento?
Existem muitas razões pelas quais os comportamentos se alteram. Cada pessoa com Demência irá reagir às circunstâncias da sua própria maneira. Por vezes, o comportamento pode estar relacionado com as alterações que estão a ocorrer no cérebro. Noutros casos, podem existir acontecimentos ou fatores no ambiente que desencadeiam o desconforto da pessoa. Em algumas situações, uma tarefa, como por exemplo tomar banho, pode ser muito complexa. Muitas vezes, o comportamento também pode ser provocado pelo facto de a pessoa não estar a sentir-se bem.

Compreender o comportamento
É importante tentar compreender por que motivo a pessoa com Demência está a comportar-se de determinada maneira. Se os familiares e cuidadores conseguirem determinar o que está a desencadear o comportamento, poderá ser mais fácil descobrirem formas de evitar que ele surja novamente.

Algumas causas frequentes dos comportamentos agressivos são:

Questões de saúde
  • Fadiga;
  • Perturbação dos padrões de sono;
  • Situações de desconforto físico, tais como dor, febre, doença ou obstipação;
  • Perda de controlo sobre o comportamento devido às alterações físicas no cérebro;
  • Efeitos secundários adversos da medicação;
  • Perturbação da visão ou audição, que leva a pessoa a interpretar incorretamente aquilo de vê e ouve;
  • Alucinações

 

Comportamento defensivo
Uma pessoa com Demência pode sentir-se humilhada por ser forçada a aceitar ajuda para funções íntimas, tal como tomar banho. A pessoa pode sentir que a sua independência e privacidade estão a ser ameaçadas.

Fracasso
Uma pessoa com Demência pode sentir-se pressionada e frustrada devido ao facto de já não ser capaz de lidar com as exigências do quotidiano.

Dificuldade na compreensão
O facto de a pessoa já não conseguir compreender o que está a acontecer pode fazer com que se sinta desorientada. Por outro lado, a pessoa pode ficar angustiada devido ao facto de ter consciência do declínio das suas capacidades.

Medo
A pessoa com Demência pode ficar assustada por já não ser capaz de reconhecer determinados locais ou pessoas. A pessoa pode procurar lugares que lhe eram familiares numa fase anterior da sua vida ou pode estar a recordar uma experiência anterior, assustadora ou desconfortável.

Necessidade de atenção
A pessoa com Demência pode estar a tentar que alguém perceba que está a sentir-se aborrecida, angustiada, com energia excessiva ou doente.

O que pode tentar
Para prevenir o comportamento agressivo
  • Discuta as suas preocupações sobre o comportamento agressivo da pessoa com o médico. Este será capaz de detetar a presença de uma doença física ou desconforto e pode fornecer alguns conselhos. O médico também será capaz de avaliar se existe uma doença psiquiátrica subjacente ou efeitos secundários adversos da medicação;
  • Esteja atento aos sinais de alerta do comportamento agressivo;
  • Tente reduzir as exigências feitas à pessoa;
  • Elimine as possíveis causas de stress;
  • Certifique-se de que existe uma rotina consistente, realizada sem pressa;
  • Mantenha o ambiente calmo e sem grandes alterações;
  • Despenda tempo para explicar à pessoa o que está a acontecer, passo a passo, com frases simples. Mesmo que as suas palavras não sejam compreendidas, o seu tom de voz calmo pode ser reconfortante;
  • Evite o confronto. Tente distrair a atenção da pessoa ou sugerir uma atividade alternativa;
  • Certifique-se que a pessoa faz exercício suficiente e que participa nas atividades;
  • Certifique-se que a pessoa está confortável

As medidas preventivas nem sempre funcionam. Por isso, não se culpe se mesmo assim a pessoa ficar agressiva. Concentre-se em lidar com a situação da forma mais calma e eficaz possível.

Quando o comportamento agressivo surgir:
  • Mantenha-se calmo. Fale com um tom de voz calmo e tranquilizador;
  • Se possível, aborde o sentimento subjacente;
  • Fazer uma sugestão simples, como por exemplo tomarem uma bebida juntos, fazerem uma caminhada ou verem uma revista em conjunto, pode ajudar. A distração e o evitamento são frequentemente as abordagens mais úteis;
  • Se estiver a sentir-se inseguro, coloque-se fora do alcance da pessoa. Fechar a pessoa num sítio ou fazer a sua contenção irá certamente piorar a situação, pelo que são atitudes a evitar
  • Se desenvolveu algumas estratégias para o controlo dos comportamentos agressivos, tente certificar-se que são utilizadas pelas outras pessoas que também cuidam da pessoa com Demência
Os comportamentos agressivos podem ser muito difíceis para os familiares e cuidadores. Estes comportamentos não são destinados a perturbá-lo deliberadamente. Lembre-se de cuidar de si próprio e de fazer intervalos regulares na prestação de cuidados.

Cuidar de si próprio:
  • Tente manter-se calmo;
  • Se ficar frustrado ou perder o seu temperamento, não se sinta culpado. Contudo, considere esta situação como um sinal de que precisa de algum apoio extra. Converse com o seu médico, um amigo ou um conselheiro;
  • Prepare um refúgio seguro para si próprio, se o comportamento agressivo se tornar um problema. Por exemplo ter uma sala, de preferência com um telefone, que consegue trancar pela parte de dentro;
  • Nem sempre é fácil esquecer os incidentes. Estes podem fazer com que se sinta muito abalado;
  • Faça pausas regulares na prestação de cuidados

 

Quem pode ajudar?
Discuta com o médico as suas preocupações sobre as alterações de comportamento e o impacto que estas têm em si. Obtenha mais informação junto de técnicos da Alzheimer Portugal.

Adaptado de Alzheimer Australia