Pesquisa

Alterações do comportamento

Aqui abordamos algumas alterações de comportamento comuns nas pessoas que têm Demência. São discutidos os motivos das alterações e fornecem-se algumas diretrizes gerais para lidar com estas.

As alterações do comportamento de uma pessoa com Demência são muito comuns. Estas podem ser uma enorme fonte de stress para os familiares e cuidadores. Pode ser particularmente perturbador quando alguém, que anteriormente era gentil e amoroso, se comporta de uma maneira estranha ou agitada.

Por que é que existe uma alteração do comportamento?

Existem muitas razões pelas quais o comportamento de uma pessoa pode estar a mudar. A Demência é um resultado das alterações que ocorrem no cérebro e afetam a memória da pessoa, o humor e o comportamento. Por vezes, o comportamento pode estar relacionado com as alterações que ocorrem no cérebro. Assim, o comportamento pode ser desencadeado por estas alterações no cérebro, mas também por mudanças no ambiente e na saúde ou por medicamentos que a pessoa esteja a tomar. Talvez uma atividade, como tomar banho, seja sentida como muito difícil de realizar. A pessoa pode, também, não estar a sentir-se fisicamente bem.

A Demência afeta as pessoas de diferentes maneiras. Entender porque é que alguém está a comportar-se de uma forma particular pode ajudá-lo a lidar com esse comportamento.

Por onde começar

Deve discutir as suas preocupações sobre as alterações do comportamento da pessoa com o médico. Este será capaz de verificar se existe alguma doença física ou desconforto presente, fornecer alguns conselhos e informar se existe alguma doença psiquiátrica subjacente.

Lidar com a alteração dos comportamentos

Lidar com a alteração dos comportamentos pode ser muito difícil e frequentemente é uma questão de tentativa e erro. Lembre-se sempre que o comportamento não é deliberado. A raiva e a agressividade são geralmente dirigidas contra os familiares e cuidadores porque estes estão mais próximos. O comportamento está fora do controlo da pessoa e esta pode ficar bastante assustada por isso. A pessoa precisa de ser tranquilizada, mesmo que não aparente ter essa necessidade.

O que tentar
  • Um ambiente tranquilo e sem stress, no qual a pessoa com Demência possa ter uma rotina familiar, pode ajudar a evitar alguns comportamentos difíceis;
  • Tente manter o ambiente familiar. As pessoas com Demência podem ficar perturbadas se estiverem numa situação estranha ou num grupo de pessoas desconhecidas, onde se sintam confusas e com incapacidade de comunicar. A frustração causada por ser incapaz de atingir as expectativas tanto das outras pessoas como também as suas próprias, pode ser suficiente para desencadear uma mudança no comportamento;
  • Se um comportamento se tornar difícil, é melhor não tentar qualquer forma de contacto físico, tal como conter a pessoa, afastá-la do local ou aproximar-se por detrás. Pode ser melhor deixar a pessoa sozinha, até esta ter recuperado ou telefonar a um amigo ou vizinho para ter apoio;
  • Tente não levar o comportamento de forma pessoal;
  • Tente não levantar a voz;
  • Não castigue a pessoa, pois ela não só pode não se lembrar do acontecimento, como também será incapaz de aprender com ele;
  • Fale devagar, com uma voz calma e tranquilizadora;
  • Tente não se sentir provocado ou envolver-se numa discussão

 

Agressão

A agressão pode ser física (exemplo: bater) ou verbal (exemplo: utilizar linguagem abusiva). O comportamento agressivo é geralmente uma expressão de medo, raiva ou frustração.

O que tentar
  • A agressão pode ser devida à frustração. Trancar a porta pode evitar que a pessoa deambule, mas pode resultar num aumento da frustração;
  • A atividade e exercício podem ajudar a prevenir algumas manifestações agressivas;
  • Abordar a pessoa devagar e de modo a que ela consiga vê-lo integralmente pode ajudar. Explique o que vai acontecer com frases curtas e claras, tais como "Eu vou ajudá-lo a tirar o casaco". Isto pode evitar que a pessoa tenha a sensação de ser atacada e de manifestar agressividade como uma resposta de autodefesa;
  • Verificar se o comportamento agressivo está relacionado com a obtenção de algo que a pessoa deseja. Se assim for, tentar antecipar as necessidades da pessoa pode ser uma ajuda

Reações exaltadas

Algumas pessoas com Demência perante um pequeno contratempo ou crítica apresentam uma reação exagerada. Isso pode levá-las a gritar, fazer acusações injustas, ficarem muito agitadas ou teimosas, chorarem ou rirem-se de forma descontrolada e inapropriada. A tendência para apresentar reações exageradas faz parte da doença e é designada por reação exaltada.

Às vezes, uma reação exaltada é o primeiro indício de Demência. Estas reações podem ser uma fase passageira que desaparece com o avançar da doença ou podem manter-se durante algum tempo.

O comportamento exaltado pode ser o resultado de:
  • Stress provocado pelas exigências excessivas da situação;
  • Frustração provocada por má interpretação das mensagens;
  • Outra doença subjacente
Este comportamento pode aparecer muito rapidamente e pode fazer com que os familiares e os cuidadores se sintam assustados. No entanto, tentar descobrir o que desencadeia um comportamento exaltado pode, por vezes, evitar o seu aparecimento. Manter um diário pode ajudar a identificar as circunstâncias em que os comportamentos ocorrem. Se isso não for possível, pode encontrar maneiras de lidar com o comportamento de forma rápida e eficiente utilizando algumas das diretrizes mencionadas anteriormente.

Acumulação de coisas

As pessoas com Demência parecem, frequentemente, andar à procura de algo que acreditam ter desaparecido e tendem a acumular objetos de forma a garantir que estes não se perdem.

Os comportamentos de acumulação podem ser causados por:
  • Isolamento. Quando uma pessoa com Demência é deixada sozinha ou se sente negligenciada, pode concentrar-se completamente em si própria. A necessidade de acumular objetos é uma resposta comum;
  • Memórias do passado. Eventos do presente podem evocar memórias do passado da pessoa, como por exemplo ter vivido com irmãos que tiraram as suas coisas ou num período de recessão ou de guerra com uma família para alimentar;
  • Perda. As pessoas com Demência perdem continuamente partes das suas vidas. Perder amigos, família, um papel significativo na vida, um rendimento e uma memória em que possam confiar, pode aumentar a necessidade da pessoa acumular objetos;
  • Medo. O medo de ser roubado é outra experiência comum. A pessoa pode querer guardar algo precioso, e esquecer-se do sítio em que guardou o objeto e depois culpar outras pessoas de o terem roubado

O que tentar
  • Aprenda quais os lugares habituais onde a da pessoa guarda as coisas e, em primeiro lugar, procure nesses sítios os objetos em falta;
  • Dê à pessoa uma gaveta com vários tipos de objetos para ela poder mexer, de modo a satisfazer a sua necessidade e a estar ocupada;
  • Certifique-se que a pessoa consegue encontrar o caminho, uma vez que a incapacidade de reconhecer o ambiente pode estar associada ao problema da acumulação

 

Comportamento repetitivo

As pessoas com Demência podem dizer ou perguntar as mesmas coisas vezes sem conta. Também podem tornar-se muito apegadas a si e ?serem uma sombra?, seguindo-o inclusivamente à casa de banho. Estes comportamentos podem ser muito perturbadores e irritantes.

O que tentar
  • Se uma explicação não ajudar, distrair a pessoa pode funcionar. Uma atividade favorita, comida ou uma caminhada podem ajudar;
  • Reconhecer o sentimento que a pessoa está a expressar pode ajudar. Por exemplo ? O que é que tenho de fazer hoje?" pode significar que a pessoa está a sentir-se perdida e incerta. Responder a este sentimento pode ajudar;
  • Não lembre a pessoa de que ela já fez a pergunta;
  • Os movimentos repetitivos podem ser reduzidos, dando à pessoa outra coisa para fazer com as mãos, tal como uma bola macia para apertar ou roupas para dobrar

Baseado em Compreender e lidar com comportamentos de desafio (Understanding and dealing with challenging behaviour), Alzheimer Escócia.

Quem pode ajudar

Discuta com o médico as suas preocupações sobre as alterações do comportamento e o impacto que estas têm em si.

Adaptado de Alzheimer Australia