Pesquisa

Comportamento ansioso

Para algumas pessoas a ansiedade pode ser um sintoma angustiante. Aqui abordam-se as causas dos comportamentos ansiosos e sugerem-se algumas formas eficazes de controlá-los.

O que é o comportamento ansioso?

As mudanças no comportamento das pessoas com Demência são muito comuns. Algumas pessoas podem ficar preocupadas e ansiosas, mas serem incapazes de dizer o que está a perturbá-las. A pessoa pode ficar inquieta e andar de um lado para o outro ou, por vezes, parecer que está aborrecida e não sair do mesmo sítio. Noutras situações, a pessoa pode agarrar-se ao cuidador, caso tente sair do quarto ou de casa.

Outro comportamento ansioso comum é a pessoa com Demência seguir o cuidador por toda a casa, como se fosse a sua sombra. Alguns familiares e cuidadores descreveram o stress de serem constantemente seguidos pela pessoa com Demência, sendo incapazes de encontrar qualquer privacidade, inclusive na casa de banho.

O que é que causa este comportamento?

Existem muitas razões pelas quais os comportamentos se alteram. Cada pessoa com Demência irá reagir às circunstâncias da sua própria maneira. Por vezes, o comportamento pode estar relacionado com as alterações que estão a ocorrer no cérebro. Noutros casos, podem existir acontecimentos ou fatores no ambiente que desencadeiam o comportamento. Em algumas situações, uma tarefa, como por exemplo tomar banho, pode ser muito complexa. O comportamento também pode ser provocado pelo facto de a pessoa não estar a sentir-se bem.

Compreender os comportamentos

É importante tentar compreender por que motivo a pessoa com Demência está a comportar-se de determinada maneira. Se os familiares e cuidadores conseguirem determinar o que está a desencadear o comportamento, podem responder às necessidades da pessoa e poderá ser mais fácil descobrirem formas de evitar que ele surja novamente.

Algumas causas frequentes de ansiedade são:
  • Alterações dentro do cérebro
Estas podem ser causa direta dos sentimentos de ansiedade.

  • Sentimentos de perda e tensão
À medida que as pessoas apresentam uma menor compreensão do que está a acontecer à sua volta podem ficar mais ansiosas. As pessoas com Demência podem sentir-se preocupadas com pessoas do seu passado ou procurarem um ambiente que lhes seja familiar, especialmente os lugares que lhes eram familiares numa fase anterior da sua vida.

  • Fracasso
Uma pessoa com Demência pode sentir-se pressionada por já não conseguir lidar com as exigências do quotidiano e ficar preocupada com o facto de fazer algo incorretamente. A pessoa também pode ficar ansiosa ao tentar fazer uma tarefa e fracassar na sua execução.

  • Responder à tensão dos outros
A ansiedade da pessoa com Demência pode resultar do reconhecimento da tensão ou dos sentimentos negativos das pessoas e situações à sua volta.

  • Tristeza
A ansiedade, a perda e a tristeza são emoções estreitamente relacionadas. Os indivíduos com Demência podem estar conscientes de que algo está errado, mesmo que a sua capacidade de introspeção pareça empobrecida. Esta consciência da perda pode levar à ansiedade e angústia.

O que pode tentar
  • Um exame médico vai ajudar a identificar a existência de quaisquer problemas físicos ou efeitos secundários adversos da medicação;
  • A ansiedade pode ser um sintoma de depressão. Se suspeitar que existe uma depressão converse com o médico. É importante investigar e tratar uma depressão, sempre que se suspeitar da sua presença;
  • Tranquilize e apoie a pessoa;
  • Tente reagir com calma e de modo gentil;
  • Se possível, aborde o sentimento subjacente;
  • Tente adequar o grau de dificuldade das tarefas ás reais capacidades da pessoa com Demência;
  • Dê à pessoa algo para manipular, tal como moedas ou uma bola anti stress;
  • Certifique-se que a pessoa faz exercício suficiente;
  • Tente mudar as bebidas com cafeína para bebidas descafeinadas;
  • Se desenvolveu algumas estratégias para gerir os comportamentos ansiosos, tente certificar-se de que aquelas são compreendidas e utilizadas por quaisquer outras pessoas que também cuidem da pessoa com Demência

 

Lidar com o comportamento ? quando a pessoa está constantemente a seguir o cuidador

  • Arranje tempo livre e afastado da pessoa com Demência, partilhando a prestação de cuidados com outras pessoas. Isto vai ajudar a pessoa com Demência a acostumar-se ao facto de nem sempre estar presente;
  • Arranje uma forma de se ausentar quando se sentir sobrecarregado, por exemplo dar um passeio, visitar um vizinho ou ir para um quarto onde possa estar sozinho. No entanto deverá ter em conta que a partir de determinada altura a pessoa com Demência não deverá ficar sozinha

Lidar com estes comportamentos, no dia-a-dia, pode ser extremamente exigente para as famílias e cuidadores. Os comportamentos da pessoa são sintomas da Demência e não são destinados a perturbá-lo deliberadamente. Lembre-se de cuidar de si próprio e fazer intervalos regulares na prestação de cuidados.

Quem pode ajudar?

Discuta com o médico as suas preocupações sobre as alterações do comportamento e o impacto que estas têm em si.

Adaptado de Alzheimer Australia