Pesquisa

Sentimentos

Aqui são abordados alguns sentimentos que frequentemente os familiares e cuidadores de pessoas com Demência costumam experienciar. Estes podem incluir sentimentos de culpa, tristeza, perda e raiva.

Cuidar de alguém com Demência pode ser muito gratificante, mas também pode ser muito difícil, desgastante, solitário e, às vezes, avassalador. À medida que as necessidades da pessoa com Demência se alteram, poderá ter que lidar com muitos sentimentos diferentes.

Não está sozinho
A Alzheimer Portugal disponibiliza apoio, informação, educação e aconselhamento.

Os sentimentos
Alguns dos sentimentos mais comuns experienciados pelos familiares e cuidadores são a culpa, tristeza, perda e raiva.

  • Culpa
É bastante comum sentir-se culpado, culpado pela forma como a pessoa com Demência foi tratada no passado, culpado por se sentir envergonhado pelo comportamento estranho da pessoa, culpado por perder a calma ou culpado por não querer a responsabilidade de cuidar de um pessoa com Demência.

Se a pessoa com Demência for para um hospital ou para um lar residencial, poderá sentir-se culpado, apesar de ter feito tudo o que podia, por não ter conseguido mantê-la em casa por mais tempo. É comum sentir-se culpado por ter feito promessas passadas, tais como "Eu vou sempre cuidar de si", e depois não as ter conseguido cumprir.

  • Tristeza e perda
A tristeza é uma resposta emocional à perda. A perda pode ser por vários motivos, tais como terminar uma relação, mudar de casa, perder saúde, divórcio ou morte. Se alguém próximo desenvolver Demência, somos confrontados com a perda da pessoa que conhecíamos anteriormente e da relação que tínhamos com ela. As pessoas que cuidam dos cônjuges podem sentir tristeza por existir uma perda do futuro que planearam compartilhar.
A tristeza é um sentimento muito individual e as pessoas podem senti-la de formas diferentes, em alturas diferentes. Nem sempre se tornará mais fácil com o passar do tempo.

  • Raiva
É natural sentir-se frustrado e zangado, zangado por ter de ser um cuidador, zangado com os outros que não estão a ajudar, zangado com a pessoa com Demência devido aos seus comportamentos difíceis e zangado com serviços de apoio.

Os sentimentos de angústia, frustração, culpa, cansaço, e aborrecimento são bastante normais. No entanto, se se sentir desta maneira ou sentir que pode perder o controlo, é importante falar sobre os seus sentimentos com alguém, como por exemplo o seu médico


O que tentar

As seguintes ideias podem ser úteis para lidar com sentimentos de perda, culpa e raiva:
  • Sinta a dor. Permita-se a sentir realmente aquilo que está a sentir, seja o que for. Negar os sentimentos só intensifica e prolonga o sofrimento;
  • Chore. Chorar pode ser terapêutico. Deixe as lágrimas limparem e aliviarem o seu sofrimento interno;
  • Fale. Compartilhe a sua dor. É importante falar sobre os seus sentimentos, mesmo nas alturas mais difíceis. Partilhar a tristeza vai ajudar a diminui-la. Poderá ser útil falar com uma pessoa exterior à família, como por exemplo um psicólogo;
  • Escreva um diário. Um diário é um lugar privado onde tudo pode ser escrito, incluindo os desejos insatisfeitos, culpas, raivas e todos os outros pensamentos e sentimentos;
  • Liberte-se da amargura. Não se deixe consumir pela amargura. O ressentimento é uma carga pesada que mantém a mágoa. Se existir uma fonte de zanga, tente resolvê-la;
  • Procure conforto. Pessoas diferentes têm maneiras diferentes de encontrar conforto. Para muitos existe conforto em rituais tais como orar, meditar ou realizar outras atividades;
  • Mantenha a calma. Por vezes poderá ser vulnerável, por isso reflita cuidadosamente antes de tomar decisões. Deve explorar completamente todas as opções;
  • Seja gentil consigo próprio. Seja paciente com os seus sentimentos. Tente encontrar um equilíbrio entre estar feliz e triste, zangado e calmo e culpado e satisfeito. Seja paciente consigo próprio;
  • Aprenda a rir-se novamente. Redescubra o seu sentido de humor. Encontrar alegria na vida pode ser uma forma de honrar os momentos felizes que anteriormente partilhava com a pessoa com Demência

Lembre-se
Tente certificar-se de que faz pausas na prestação de cuidados, para não ficar desgastado. Peça ajuda aos familiares e amigos.

A Alzheimer Portugal pode colocar as pessoas em contacto com os vários grupos de apoio existentes no país. Muitas pessoas encontram apoio e ajuda através da participação nestas reuniões com outras pessoas que sabem o que é cuidar de uma pessoa com Demência. Os grupos de suporte aproximam as famílias, cuidadores e amigos de pessoas com Demência, sob a orientação de um facilitador de grupo. Contacte a Alzheimer Portugal para a Sede ou Delegação mais próxima de si para obter informações sobre os grupos de suporte.

Adaptado de Alzheimer Australia