Pesquisa

Após a morte da pessoa com Demência

Aqui são abordados alguns sentimentos que pode experienciar após o falecimento da pessoa a quem presta cuidados. São sugeridas formas de lidar com esses sentimentos e com as mudanças na sua vida.

Quando uma pessoa com Demência morre, os seus familiares e cuidadores experienciam, frequentemente, uma variedade de sentimentos. Pode entristecer-se pela perda dessa pessoa e do relacionamento que teve com ela. O sentimento de perda pode existir mesmo quando não deseja que a pessoa continue a viver, sofrendo, devido à Demência.

Para algumas pessoas, o facto de terem sofrido muito durante o curso da doença faz com que não tenham sentimentos especiais quando a pessoa com Demência morre. No entanto, estes sentimentos podem vir à superfície num momento posterior e, às vezes, de maneira inesperada.

Cada pessoa reage de forma diferente
As pessoas têm reações diferentes às experiências emocionais. Exemplos de reações à morte de uma pessoa com Demência são:
  • Tristeza pelo que poderia ter sido ou pelo que foi perdido;
  • Choque e sofrimento;
  • Descrença e incapacidade de aceitar a situação;
  • Culpa por algo do passado;
  • Alívio para a pessoa com demência e para si próprio;
  • Zanga e ressentimento sobre o que aconteceu;
  • Falta de propósito de vida, agora que o papel de cuidador terminou

Vai variar de pessoa para pessoa experienciar um ou todos os sentimentos, bem como a duração destes. O mesmo acontecimento, por exemplo o falecimento de um cônjuge, produz respostas diferentes, em pessoas diferentes. Não existem regras no sofrimentos, todos reagimos à perda da nossa própria maneira. Seja qual for a sua reação à morte, irá lidar com ela à sua maneira e a seu tempo.

Ajuda profissional
Se pretender falar sobre os seus sentimentos ou precisar de ajuda para lidar com o seu sofrimento, poderá ser útil falar com um profissional.

Após a morte
No período imediato à morte da pessoa, poderá sentir-se em choque e vulnerável.
  • Tente evitar tomar decisões importantes;
  • Aceite que, muito embora esteja a lidar com a situação, existirão alturas em que irá sentir-se triste ou perturbado;
  • Pode ser difícil lidar com eventos tais como aniversários ou outras datas importantes;
  • Converse com seu médico. Estará mais propenso a ficar fisicamente doente ou deprimido após o falecimento da pessoa

 

Lembre-se
Vai necessitar de tempo para adaptar-se à perda.

Continuar com a vida para a frente
Continuar com a vida para a frente nem sempre é fácil. No entanto, irá chegar a altura em que se sentirá pronto para reestabelecer a sua própria vida e seguir em frente. As seguintes sugestões podem ajudá-lo nesta situação:

  • Não tenha pressa
O período de tempo necessário para adaptar-se às mudanças na vida varia de indivíduo para indivíduo. Seja paciente e não tente acelerar o processo;

  • Aceite ajuda
Deixar que os outros o ajudem pode dar-lhe um apoio extra e uma oportunidade de conversar e expressar os seus sentimentos e reflexões. Ao longo do tempo isto irá ajudá-lo a compreender e a adaptar-se à sua perda;

  • Partilhe a sua experiência
Os amigos e familiares também beneficiam da oportunidade de partilharem os seus sentimentos;

  • Escreva num diário
Escrever os seus pensamentos e sentimentos num diário pode ajudá-lo a lidar com a sua dor e a aceitar a perda;

  • Recordar a pessoa
Muitas pessoas gostam de falar sobre a pessoa que perderam, especialmente das épocas em que a Demência ainda não a tinha afetado. Recordar os momentos felizes pode ajudar. Comemore a pessoa com a família e amigos. Muitas pessoas acham útil fazê-lo em aniversários ou noutras datas importantes;

  • Reestabeleça a sua rede de contactos sociais
Volte a contactar velhos amigos ou comece a procurar novos amigos;

  • Continue a tentar
Ao princípio pode não se sentir confiante, pode julgar difícil tomar decisões, conversar sobre coisas comuns ou lidar com os encontros sociais. Mas não desista, pois gradualmente a sua confiança irá voltar.

Adaptado de Alzheimer Australia