Pesquisa

Testemunho


Gostava apenas de partilhar que o meu pai sofre de Alzheimer e de Parkison desde à 8 anos.. tem sido uma longa e dolorosa caminhada, em que muitas as vezes nós familiares se vão abaixo e acabam tb por sofrer de depressões. É uma doença silenciosa, para nós e para o próprio doente, então na fase final, que é como o meu pai se encontra desde à 3 semanas, nós família sofremos horrores. è esta a mensagem q gostaria de deixar e ainda bem que há espaços onde pudemos desabafar e deixarmos o nosso testemunho, testemunho esse doloroso e longo e só sabe dar valer quem passa por ele...

Eu sou seguida em termos psiquiátricos particularmente, desde à 4 anos altura em que propriamente dei o " berro". O pior tem sido a minha mãe pois é ela a tratadora do meu pai até à 3 semanas, altura em que o tivemos de o internar num hospital particular, onde neste momento está a soro e a ser alimentado pela sonda pois estava a fazer pneumonias por refluxo, devido ao facto de já n conseguir comer. Tudo isto se tem passado pelo menos durante 7 anos entre Leiria e Lisboa, situação essa porque tanto eu como a minha irmã, vivemos em Lisboa, então eles passavam temporadas longas em Lisboa, situação essa q terminou à um ano pois foi qd o meu pai começou a piorar, agora neste momento estamos a criar condições em casa para ele voltar pois queremos que ele esteja em casa com acompanhamento de assistentes e enfermeiros, pois como referi a sua situação alterou-se. Agora eu e a minha irmã vamos-nos intercalando entre Leiria e Lisboa, pois a minha mãe está de rastos.

Agora neste momento o meu pai já se encontra em casa, com os cuidados de uma assistente geriátrica diária, e quando necessário enfermagem e médico, mas tudo isto particularmente, pois o nosso sistema de saúde não pensa nestes doentes e nas suas famílas.
Neste momento o meu pai está sem a sonda gástrica, na qual ele se alimentava, porque ele estava sempre a retirá-la, então os médicos aconselharam a pôr espessante na comida e tentar que ele coma. No entanto nesta fase ele continua a fazer constantes infecções, desta vez urinária. A última foi à 3 semanas e foi pneumonia.

Nesta doença todos sofremos, quer o meu pai, pois eu acredito que por momentos ele chega a ter momentos de lucidez, quer nós família, em que vemos o desabar de toda uma vida, de toda uma aprendizagem, e o facto de o meu pai já n reconhecer nada nem ninguém, e perguntar constantemente à minha mãe quem é ela. Isto é muito difícil para ela pois foi ela sempre o seu porto de abrigo, a única pessoa que ele conhecia e da qual sabia o nome..., Alzheimer uma doença silenciosa!!

Um bem haja para vocês que nos dão voz, quando já nada nos resta...


Cristina David
12 de Outubro de 2010