Pesquisa

Doença Crónica Não-Transmissível


A Doença de Alzheimer é reconhecida pelas Nações Unidas como Doença Crónica Não-Transmissível

A Assembleia Geral das Nações Unidas reconhece as doenças neurológicas, incluindo a Doença de Alzheimer, como importante causa de morbilidade, sendo absolutamente necessário possibilitar-se acesso igualitário a programas eficazes e a intervenções em cuidados de saúde.

A Assembleia Geral das Nações Unidas, na sua 66ª sessão de 19 e 20 de Setembro de 2011, que se debruçou sobre questões de saúde relacionadas com doenças não-transmissíveis (DNT), adotou uma DECLARAÇÃO POLÍTICA PARA A PREVENÇÃO E O CONTROLO DE DOENÇAS NÃO-TRANSMISSÍVEIS (DNT), em que, no item 18, se reconhece especificamente que as doenças neurológicas, incluindo a Doença de Alzheimer, constituem importante causa de morbilidade e contribuem para o enorme problema que representam as DNT a nível global, sendo absolutamente necessário possibilitar-se acesso igualitário a programas eficazes e a intervenções em cuidados de saúde.

A Doença de Alzheimer passa, assim, a estar incluída em programas de promoção da saúde a nível mundial, um dos maiores desafios a desenvolver no século XXI, dado que inclusivamente as DNT constituem uma ameaça para as economias de muitos Estados Membros, podendo levar a crescentes desigualdades entre países e populações.

Segundo a ADI (Alzheimer Disease International), na sua declaração sobre os resultados desta cimeira, trata-se de uma declaração da maior importância, uma vez que a Doença de Alzheimer e outras demências são reconhecidas, a par da diabetes, do cancro, das doenças respiratórias e das doenças cardiovasculares, como representando um grave problema global de saúde pública. Poder-se-á, agora, esperar que sejam elaborados e concretizados programas específicos, a nível mundial, de que resultem, por exemplo, o diagnóstico precoce e a redução dos riscos.

Pretende-se, assim, reforçar políticas nacionais e sistemas de saúde, até 2013, cooperação internacional que incluam parcerias de cooperação, desenvolvendo e apoiando a investigação nesta área da saúde. Um grande passo, resultado dos esforços extraordinários de todo o movimento Alzheimer em vários países, em que se inclui a Alzheimer Europe da qual a Alzheimer Portugal é membro activo.