Pesquisa

ALZHEIMER PORTUGAL CRIA NÚCLEO DO ALGARVE COM SEDE EM PORTIMÃO

Alzheimer Portugal
Mais um ponto de apoio para as Pessoas com Demência e seus cuidadores
Autor Tatiana Nunes 
Data 29-07-2020 
A Alzheimer Portugal e o Município de Portimão assinaram um protocolo para cedência de instalações destinadas à sede do Núcleo do Algarve da Associação.
O evento de entrega das chaves teve lugar hoje, dia 29 de julho, e o início das atividades do Núcleo está agendado para setembro.

De âmbito regional, o Núcleo contará com um Gabinete de Apoio na Demência com o objetivo de prestar informações, encaminhamento para as respostas locais e apoio técnico às Pessoas com Demência e a todos aqueles que direta ou indiretamente convivem com elas, isto é, aos seus cuidadores, familiares e amigos e ainda aos profissionais que lhes prestam cuidados e que residam na Região do Algarve.

O atendimento será presencial nas instalações do Núcleo sitas na Urbanização do Pimentão, lote 2, Cave, Gabinete 3, Três Bicos, Portimão, nos dias úteis, das 9h às 12h30, e através de uma linha telefónica disponibilizada para o efeito.

O Núcleo encontra-se igualmente ao dispor das instituições sediadas na região para capacitar os seus profissionais na área das Demências e potenciar uma intervenção integrada, pretendendo ainda consciencializar a população do Algarve para esta problemática.

Para Manuela Morais, Presidente da Direção Nacional da Alzheimer Portugal “Este é um momento muito importante para a Alzheimer Portugal. Desde a sua criação, a Associação tem como visão uma sociedade que integre verdadeiramente as Pessoas com Demência e a possibilidade de criarmos um Núcleo na região do Algarve deixa-nos muito orgulhosos! O apoio da Câmara Municipal de Portimão foi e é fundamental para conseguirmos ampliar a nossa intervenção no sul do país.”


Estima-se que em Portugal existam cerca de 200 000 Pessoas com Demência e prevê-se que este número possa aumentar significativamente nos próximos anos, sendo que a idade consiste no principal fator de risco e Portugal é um dos países mais envelhecidos do Mundo.
Se considerarmos ainda os cuidadores familiares e profissionais envolvidos na prestação de cuidados a estas pessoas, este problema ganha uma dimensão ainda maior, com impactos sociais e económicos extremamente relevantes.