Pesquisa

Testemunhos | III Grupo Psicoeducativo - Sintra

Alzheimer Portugal
A Alzheimer Portugal concluiu o seu III Grupo Psicoeducativo para Cuidadores Familiares de Sintra. Veja aqui os testemunhos
Autor Tatiana Nunes 
Data 26-04-2021 

A semana passada terminou mais um Grupo Psicoeducativo da Alzheimer Portugal. À medida que estes Grupos se vão realizando vou enraizando mais fundo em mim a convicção da importância, do valor acrescentado, dos benefícios que estes Grupos proporcionam não apenas aos Cuidadores de Pessoas com Demência que neles participam, como também, às respetivas famílias. Tal acontece na medida em que obter informação e refletir sobre alguns comportamentos para lidar com as alterações psicológicas e comportamentais da Pessoa com Demência (PD), implica necessariamente uma alteração do comportamento do Cuidador, com consequente impacto na restante família. Este Grupo teve uma característica, não presente em Grupos anteriores, isto é, neste estiveram também presentes filhos de Cuidadores Principais (segundo a terminologia do Estatuto do Cuidador). Este facto manifestou-se muito benéfico para as respetivas famílias.

Penso que para confirmar o que acabei de partilhar, nada melhor, do que os testemunhos dos próprios participantes, na última sessão:

  1. “(…) Outra conquista muito importante foi a de compreender melhor o que uma pessoa com demência possa estar a sentir, permitiu-me pôr no lugar do meu pai (PD). Houve também um misto de informações que me ajudaram a refletir não apenas na minha relação com o meu pai como também na minha relação com a minha mãe – que é quem cuida a tempo inteiro do meu pai. Por outro lado, foi também curioso e, completamente fora das minhas expectativas, falar de algo que não tem haver com Demência, mas que foi possível e importantíssimo, dado que existe no Grupo alguém que passou por algo muito semelhante a mim.”
  2. “O Grupo ajudou a alargar os horizontes, a sentir a importância de ficarmos mais sensíveis, predispostos a dar amor ao nosso familiar com Demência, independentemente da relação prévia. Percebemos o valor da empatia e a necessidade de trabalhar a paciência. Aprendi também a saber o que devo e o que não devo dizer.”
  3. “Participar no Grupo permitiu-me encontrar uma série de respostas, com um maior entendimento do que se está a passar com o meu familiar com Demência e, também, contribuir para o mesmo junto da minha família, dado que partilhava sempre com eles o que tínhamos refletido ao longo da sessão.”
  4. “Confirmei que não existe escola para filhos, tal como já sabia que não havia uma escola para pais. É no dia-a-dia que aprendemos as estratégias, bem como nesta troca de experiências que foi possível no Grupo”

 

Termino com a seguinte partilha: “Ao longo destas 10 semanas, todas as 4as feiras pensei: ‘Ainda bem que existiu esta hora e meia de conforto na minha vida :) !’”

 

Patrícia Charters
Psicóloga