Ensaio Clínico: Programa Generation

Poderá contribuir para o avanço do conhecimento na doença de Alzheimer ?
Descubra se pode participar num estudo com este propósito.

Sobre o Programa Generation

O Programa Generation é composto por dois ensaios clínicos: o Estudo Generation 1 e o Estudo Generation 2. 
Cada estudo deverá durar entre 5 a 8 anos e irá estudar o medicamento experimental, para avaliar se poderá atrasar o aparecimento da doença de Alzheimer.
Para avaliar este medicamento experimental, procuramos pessoas que não tenham sido diagnosticadas com qualquer problema de memória, mas que tenham uma forma específica de um gene, que pode aumentar o risco de desenvolver doença de Alzheimer.
Apenas com a ajuda dessas pessoas poderemos verificar se o medicamento experimental será eficaz.

Como é que os seus genes poderão estar relacionados com a doença de Alzheimer?

Os seus genes definem a pessoa que é. Os seus gostos, a cor do seu cabelo, a sua maneira de andar, a sua altura. Eles também podem determinar o risco de vir a desenvolver a doença de Alzheimer.
Existe uma forma específica de um gene, chamado de APOE4, que pode aumentar o risco de vir a desenvolver doença de Alzheimer. Se a tiver, isso não significa que irá desenvolver a doença, mas sim, que tem um maior risco de isso acontecer, do que a pessoas que não a têm. Esta ligação genética significa que pessoas com familiares com doença de Alzheimer têm maiores probabilidades de virem a desenvolver a doença.

O que fazer?

Passo 1: Eligibilidade
  • Ter entre 60 e 75 anos de idade Para poder participar no estudo terá de 
  • Não ter sido diagnosticado(a) com nenhum problema de memória.
Se cumpre os dois critérios acima siga para o Passo 2
Passo 2: Teste Genético
Para continuar a sua participação, é necessário saber se os seus genes demonstram que tem um risco aumentado de desenvolver doença de Alzheimer.
Para tal é realizada uma avaliação rápida – um esfregaço do interior da sua bochecha num dos hospitais onde o estudo está a ser realizado.
Regressará ao Hospital para saber o resultado do seu teste genético. Poderá recusar-se a saber o resultado, se já não quiser continuar a participar no estudo.
Irá ter aconselhamento genético durante este processo, com um médico especialista.
Só pessoas com os resultados genéticos que procuramos poderão participar no estudo. A sua participação é voluntária e poderá sair do estudo a qualquer altura.
Passo 3: Outros procedimentos
Para além de ter que ter a forma específica do gene, terá que realizar outras avaliações para confirmarmos que poderá participar, neste estudo:
– estudo de imagem para avaliação da amilóide cerebral (Tomografia por Emissão de Positrões) e/ou realização de uma punção lombar
– avaliação neuropsicológica
– ressonância magnética cerebral
– colheita de sangue e de urina
Passo 4: Participação
Em Portugal, temos a decorrer o estudo Generation 2. Se for elegível e aceitar, contamos que a sua participação dure entre 5 a 8 anos.
Sabemos que é um compromisso a longo prazo. Mas somente com a realização de um estudo de longa duração poderemos determinar se o medicamento experimental poderá atrasar o aparecimento da doença de Alzheimer. 
Poderá tomar o medicamento experimental, ou um placebo. O Placebo é visualmente igual ao medicamento, no entanto não tem o fármaco ativo. O seu uso é importante para a determinação dos resultados.
Durante o estudo deverá ir ao Hospital, de forma regular, para a realização de exames que servirão para assegurar a segurança e determinar a eficácia do medicamento experimental.
Os responsáveis pelo Ensaio Clínico procederão ao ressarcimento de despesas de deslocação que tenha com estas visitas.

Quem está por detrás deste Programa?

O Programa Generation é uma colaboração entre laboratórios farmacêuticos e organizações de investigação. A sua privacidade estará protegida.
Toda a informação recolhida durante o estudo é confidencial.
Os seus direitos e o seu bem estar estarão protegidos.

Fonte:
Folheto Generation Program Versão 01.02 (baseada na versão inglesa 03 de 07 de novembro de 2017) aprovado em 27-03-2018
Todos os materiais foram revistos e aprovados pela CEIC-Comissão de Ética para a Investigação Clínica para assegurar que se cumprem os regulamentos e legislação em vigor.

A sua participação é voluntária e caso queira obter mais informações, por favor contacte:

CHUC-  Hospitais da Universidade de Coimbra, Serviço de Neurologia: Tel. 239 400 448
USLM- Hospital Pedro Hispano, Matosinhos, Centro de Ensaios Clínicos: Tel- 910 016 380 
Clinica CUF Alvalade: Tel- 93 654 05 78
Campus Neurológico Senior: Tel- 261 330 702

A Importância dos Ensaios Clínicos para a Alzheimer Portugal

Desde o início que a Alzheimer Portugal afirma o seu compromisso com a investigação científica e clínica. Entre os seus fins estatutários encontra-se “a recolha, divulgação de conhecimento sobre a Doença de Alzheimer, a promoção do seu estudo e investigação das suas causas, efeitos, profilaxia e tratamento…”
Decorridos mais de 100 anos sobre a descoberta do Dr. Alois Alzheimer, continuamos sem cura para esta doença que atinge cada vez mais pessoas em todo o mundo e, muito em especial, em países com populações mais envelhecidas, como acontece com Portugal.
Podemos afirmar que há cerca de 15 anos que não temos nenhum medicamento novo disponível no mercado.
É inquestionável que diagnósticos atempados permitem intervenção precoce e mais eficaz, permitem ao próprio e à sua família planear o presente e o futuro no que diz respeito a cuidados, decisões pessoais, de saúde (por exemplo testamento vital e procuração para cuidados de saúde), sobre bens e património.
Queremos mais anos de vida, mais tempo e maior capacidade de adaptação para lidar com o compromisso cognitivo e funcional, mais anos nas fases leve e moderada da doença e possibilidade de escapar à demência severa e à dependência.
Reconhecemos a importância de se continuarem a testar novos fármacos capazes de prevenir a doença, ou seja, em pessoas em risco.
Para tal, é indispensável informar e sensibilizar o cidadão para a importância de participar em ensaios clínicos.
Conhecemos as dificuldades de recrutamento de participantes e também sabemos que, por vezes, as pessoas têm interesse ou disponibilidade para participar mas não sabem como nem onde se dirigir.
Neste contexto, acolhemos de braços abertos a oportunidade de estabelecer uma parceria com a Novartis, destinada a estabelecer formas de cooperação no âmbito do Ensaio Clínico da NOVARTIS intitulado “Ensaio sobre a eficácia e a segurança de CNP520 em comparação com placebo em participantes em risco de desenvolver os primeiros sintomas clínicos da Doença de Alzheimer.”